Thetahealing by Carol Carvalho responde

Escrito por Carolina Carvalho

Chamam-me Carol. Sou fascinada pelo psiquismo humano, que revela o funcionamento da fabulosa máquina encantada que é o Ser Humano. Curiosa pelas consequências comportamentais que se manifestam no Corpo, seja na maneira de andar, de falar, na postura, nas defesas, etc. Acredito que não estamos aqui para sofrer nem para adoecer, mas para compreendermos o porque dos nossos sofrimentos para que eles se transmutem e se elevem em auto-conhecimento.

13 de julho de 2017

 

Olá! Passando aqui para esclarecer um dúvida que me foi perguntada outro dia.

 

Pergunta do Carlos: “Venho observando que a cura é um processo muito dinâmico, complexo e relativo. E que não basta um movimento de fora para dentro, mas muito mais uma intenção forte de quem está realmente interessado numa mudança. Como o Thetahealing® atua nesse sentido?”

Essa é uma excelente pergunta.

No Thetahealing® trabalhamos com o princípio da auto-responsabilidade e com a Lei do livre arbítrio. Isso significa que você cria a sua própria realidade, portanto vc pode mudá-la rapidamente atuando através da onda cerebral theta, que permite o acesso ao subconsciente. A partir daí é possível que a pessoa tome consciência do porque está criando determinado problema ou doença ou incômodo na vida e fica apto a se curar. Passando por uma investigação intuída pela conexão com o thetahealing® é possível entender o que a pessoa ganha ou aprende com determinado problema. Após identificar a raiz do problema, a crença que o originou, faz-se uma reprogramação mental com o trabalho de crenças de forma que a pessoa obtenha o mesmo aprendizado sem passar pelo problema.  Sempre respeitando o livre-arbítrio da pessoa. Portanto, é um processo de dentro pra fora e dinâmico, como você disse, entretanto bem simples.

Exemplo: Caso a pessoa acredite a nível subconsciente que precisa se manter pobre para continuar sendo parte da família, isso vai limitar a prosperidade e a abundância na vida. Tudo que a pessoa quer é ser amada e pertencer à família. Ao identificar se é isto mesmo, podemos fazer o trabalho de crenças que vai ensinar a pessoa a ser parte da família sem precisar manter o mesmo padrão de pobreza. Ela vai compreender que é possível ser abundante e próspera e ser parte da família. Talvez até ajudar a família. Abre-se caminho para a prosperidade…

Espero ter esclarecido a você Carlos. Agradeço a pergunta.

Se tiver dúvidas pergunte que eu respondo.

Com carinho,

Carol Carvalho – Terapeuta e Instrutora de Thetahealing®

 

 

%d blogueiros gostam disto: